públicos

Políticos e Decisores: Parceiros na Transformação Social

Na Missão Pertinente, reconhecemos que enfrentar o desafio das Experiências Adversas na Infância (EAI) requer uma abordagem integrada, abrangente e colaborativa. Neste artigo, destacaremos a importância da parceria com políticos e decisores, tanto do setor público quanto do privado e cooperativo. Neste sentido, pretendemos criar respostas eficazes no âmbito da responsabilidade e sustentabilidade social, diminuindo progressivamente os impactos das EAI. Juntos, podemos promover mudanças sociais e políticas, necessárias para enfrentar este problema complexo.

Mudanças Estruturais: A Influência dos Políticos e Decisores

Os políticos e decisores têm um papel fundamental na promoção de mudanças estruturais necessárias para prevenir e superar as EAI, pois possuem o poder de estabelecer políticas públicas que regulem de forma integrada e abrangente esta questão. Assim, ao trabalharmos  em conjunto, podemos garantir que as preocupações relacionadas com as EAI sejam incluídas na agenda política e que medidas efetivas sejam adotadas para identificar, prevenir, e intervir com a comunidade, numa lógica de governação integrada, em rede, otimizando os recursos já existentes.

Parcerias Intersetoriais: Trabalhar em Conjunto para um Maior Impacto

A transformação social requer a colaboração integrada dos diferentes setores da sociedade, e a implicação de todos os intervenientes sociais da comunidade onde se inserem. Ao estabelecer parcerias com políticos e decisores, podemos unir esforços e recursos para criar respostas eficazes para mitigar as consequências das EAI. Essas parcerias devem envolver a partilha de conhecimentos, o desenvolvimento de programas conjuntos, a otimização e criação dos  recursos necessários para implementar intervenções de qualidade.

Responsabilidade e Sustentabilidade Social: Construir um Futuro Melhor

Ao envolver políticos e decisores, podemos promover a responsabilidade social e sustentabilidade em relação às EAI. Isso implica a adoção de medidas que garantam a redução progressiva dos impactos dessas experiências adversas na infância. Políticas e programas que promovam a prevenção, intervenção e suporte às vítimas e suas famílias são essenciais para construir um futuro melhor para a sociedade como um todo.

Articulação Integrada da Comunidade: Liderança Informada e Participação Ativa

Os políticos e decisores desempenham um papel crucial na mobilização e implicação consciente da comunidade. Acima de tudo, a liderança informada e participação ativa influenciam positivamente a opinião pública e reduzem a resistência social à mudança. Ao envolver a comunidade na discussão e implementação de estratégias relacionadas às EAI, podemos produzir conhecimento, construir uma base sólida de apoio e criar uma sociedade mais consciente e comprometida com o bem-estar das crianças e jovens.

A parceria com políticos e decisores é fundamental para a missão da Missão Pertinente. Ao trabalharmos em conjunto, podemos promover mudanças políticas, regulatórias e sociais necessárias para enfrentar as EAI. Juntos, podemos construir uma sociedade responsável, sustentável. Junta-te à missão! Vamos fazer acontecer.

Políticos e Decisores: Parceiros na Transformação Social Consulte Mais informação "

Fortalecer a Parentalidade Positiva e Resiliente

A parentalidade é uma jornada repleta de desafios e responsabilidades. Para garantir um ambiente saudável e feliz para as crianças, é essencial que os pais sejam capacitados e apoiados nas suas tarefas. É nesse contexto que as Power Teams desempenham um papel crucial. Através da formação, suporte emocional e recomendação de técnicas e práticas especializadas, essas equipas dedicadas trabalham para fortalecer a parentalidade positiva e promover a geração da resiliência nas famílias. Neste artigo, exploraremos como as Power Teams estão transformar a vida das famílias, fornecendo orientações valiosas e criando uma base sólida para o desenvolvimento saudável das crianças e o fortalecimento da parentalidade positiva.

Formação e Capacitação para Pais

Uma das principais missões das Power Teams é capacitar os pais para o exercício da parentalidade positiva. Através da disponibilização ou recomendação de formações nas áreas do desenvolvimento pessoal, inteligência emocional, coaching, parentalidade e meditação, as equipas fornecem ferramentas práticas e conhecimentos especializados para ajudar os pais a enfrentarem os desafios do dia a dia. Essas formações têm uma ênfase especial na promoção da resiliência, desenvolvendo a capacidade dos pais de lidar com situações adversas e encontrar soluções construtivas.

Suporte Emocional e Compartilhamento de Experiências

Além da formação, as Power Teams oferecem um espaço seguro para que os pais compartilhem as suas experiências, dúvidas e preocupações. Através da plataforma online, a comunidade em geral pode conectar-se, partilhar histórias de vida e apoiar-se mutuamente. Os pais encontram um ambiente acolhedor, onde podem receber suporte emocional e conselhos de profissionais qualificados. Esta rede de apoio fortalece os laços entre os membros da comunidade e cria uma sensação de pertença, demostrando que ninguém está sozinho nesta jornada da parentalidade.

Campanhas de Sensibilização e Mobilização

As Power Teams também desempenham um papel fundamental na consciencialização e mobilização da sociedade para a prevenção de situações de risco para as crianças. Através de campanhas educativas, essas equipas procuram alertar a comunidade sobre os impactos das experiências adversas na infância e promover a importância da parentalidade positiva. Essas campanhas visam envolver a sociedade como um todo, despertando a atenção para a responsabilidade coletiva de criar um ambiente seguro e acolhedor para as crianças crescerem, pois, como diz o proverbio africano, “É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança.”

 

Fortalecer a Parentalidade Positiva e Resiliente Consulte Mais informação "

Vítimas das experiencias adversas na infância

A Missão Pertinente enfrenta o desafio de alcançar os destinatários finais dos seus serviços, considerando o grande número de pessoas afetadas pelas Experiências Adversas na Infância (EAI). Neste artigo, abordaremos os destinatários preferenciais da nossa associação e os obstáculos que podem surgir ao tentar alcançá-los. Reconhecemos a necessidade de uma transformação social ampla e a importância da consciencialização e cooperação de todos para lidar com as questões sociais relacionadas às EAI.

Destinatários : Quem São e Como Atingi-los

  1. Crianças e jovens referenciados: Trabalhamos em parceria com diferentes entidades para identificar e apoiar crianças e jovens que são possíveis vítimas de EAI. Estabelecemos parcerias com essas entidades para garantir que o nossos serviços cheguem a esse grupo de pessoas em situação de vulnerabilidade.
  2. Famílias: Reconhecemos a importância de envolver as famílias no processo de apoio às crianças e jovens afetados. procuramos estabelecer um relacionamento de confiança com as famílias, oferecendo-lhes orientação e recursos necessários para lidar com as consequências das EAI.
  3. Crianças e jovens em situação de risco: O nosso foco também se estende a crianças e jovens que enfrentam riscos familiares ou comunitários, como pobreza, violência e exclusão. Colaboramos com instituições parceiras que atuam no terreno para identificar e apoiar esses grupos.
  4. Comunidades de risco elevado: Reconhecemos que as EAI afetam comunidades inteiras. Trabalhamos em parceria com diferentes instituições para chegar a essas comunidades e oferecer apoio abrangente, visando uma transformação social efetiva.
  5. Adultos vítimas de EAI: Não limitamos a nossa atuação apenas a crianças e jovens. Reconhecemos que os adultos também podem ser afetados pelas EAI. Estendemos nossos serviços de apoio a adultos que foram vítimas de EAI, fornecendo-lhes suporte emocional e recursos para a sua recuperação e requalificação.
  6. Dependentes de substâncias, reclusos e ex-reclusos: Entendemos que certos grupos, como pessoas dependentes de substâncias, reclusos e ex-reclusos, enfrentam desafios únicos. O nosso objetivo é estender  os nossos serviços a essas populações, bem como às suas famílias, para ajudá-los a superar as EAI e construir vidas saudáveis.

Enfrentar os Desafios: Rumo à Transformação Social

Reconhecemos que alcançar os nossos objetivos requer uma transformação social gigantesca. No entanto, sabemos que enfrentaremos alguma resistência tanto da comunidade quanto dos profissionais. No entanto, estamos preparados para combater a ideia da dependência de subsídios, e capacitar as pessoas de que as suas escolhas, empenho e resiliência são a estrutura base para a construção de uma vida autónoma e digna. Junta-te a nós, sê parte da mudança, por um futuro melhor!

Vítimas das experiencias adversas na infância Consulte Mais informação "

Os profissionais e o seu papel na causa

 

Os profissionais desempenham um papel fundamental na prevenção e intervenção nas Experiências Adversas na Infância (EAI). No entanto, muitas vezes enfrentam desafios ao implementar estratégias eficazes nessa área. A Missão Pertinente reconhece a importância desses profissionais e procura oferecer serviços de apoio e orientação especializados para fortalecer a sua capacidade de lidar com situações de risco de EAI. Neste artigo, discutiremos o papel dos profissionais e como a Missão Pertinente os apoia.

Profissionais: Aliados na Prevenção e Intervenção nas EAI

Os profissionais desempenham papéis cruciais em diferentes setores, como pesquisa, saúde, educação, justiça, ação social e serviços comunitários. Embora possam estar conscientes da importância das EAI, eles muitas vezes enfrentam obstáculos na implementação de estratégias eficazes. Alguns profissionais podem hesitar em abordar temas sensíveis com as famílias, enquanto outros podem enfrentar limitações de recursos ou falta de apoio institucional para oferecer a ajuda necessária às crianças e jovens em risco.

Apoio Especializado da Missão Pertinente

A Missão Pertinente propõe-se a ser uma plataforma de retaguarda para esses profissionais, fornecendo serviços de apoio e orientação especializados na área das EAI. Através da partilha de conhecimentos, recursos e melhores práticas, procuramos capacitar esses especialistas para que possam aprimorar as suas habilidades e enfrentar desafios relacionados às EAI com confiança.

Oferecemos aos profissionais:

  • Acesso a informações atualizadas: Fornecemos recursos e pesquisas relevantes sobre EAI, para que os especialistas possam se manter informados sobre as últimas descobertas e abordagens eficazes.
  • Orientação especializada: Disponibilizamos orientação e suporte técnico para ajudar os profissionais a lidar com situações complexas relacionadas às EAI.   Os nossos especialistas estão disponíveis para responder a dúvidas e oferecer diretrizes práticas.
  • Compartilhamento de melhores práticas: Promovemos a troca de experiências entre profissionais, facilitando a partilha de melhores práticas e estratégias bem-sucedidas no campo das EAI. Isso permite que os especialistas aprendam uns com os outros e melhorem as suas abordagens de trabalho.
  • Advocacia e sensibilização: Envolvemos os profissionais em ações de sensibilização e advocacia da marca, para promover uma mudança de paradigma na abordagem das EAI. Trabalhamos em conjunto para elevar a consciencialização sobre a importância da prevenção e intervenção nas EAI e influenciar políticas e práticas efetivas.

Os profissionais de qualquer área desempenham um papel vital na prevenção e intervenção nas Experiências Adversas na Infância. A Missão Pertinente reconhece os desafios que esses especialistas enfrentam nas suas áreas respetivas e pretende ser um pilar de apoio, seja no conhecimento sobre o assunto assim coomo financeiramente, para que possam ultrapassar os obstáculos nesta nossa jornada. Junta-te à missão!

Os profissionais e o seu papel na causa Consulte Mais informação "

As parcerias da nossa missão

 

Na Missão Pertinente, reconhecemos a importância das empresas e mecenas que demonstram uma preocupação genuína com a responsabilidade social. Esses indivíduos e organizações são um público valioso para a Associação, tanto como fonte de financiamento quanto como apoiadores na promoção da nossa missão e dos nossos objetivos. No entanto, sabemos que algumas empresas ou mecenas podem resistir em investir em questões sociais e participar ativamente na transformação social necessária para abordar as Experiências Adversas na Infância (EAI). Neste artigo, discutiremos a importância das parcerias estratégicas e persuasivas, apresentando o impacto positivo que a sua contribuição pode ter na sociedade.

A Importância das Parcerias com Empresas e Mecenas

As parcerias com empresas e mecenas desempenham um papel fundamental na realização da nossa missão. Além do suporte financeiro, essas parcerias trazem consigo recursos, expertise e alcance significativos, permitindo-nos ampliar nossa influência e expandir nossas ações. Ao estabelecer essas colaborações, procuramos criar um diálogo construtivo e uma visão compartilhada sobre a importância de enfrentar as EAI e promover um ambiente seguro e saudável para as crianças e jovens.

Superar a resistência

É compreensível que algumas empresas ou mecenas possam hesitar em investir em questões sociais. No entanto, é o nosso dever apresentar uma estratégia clara e persuasiva que demonstre a importância da nossa causa e o impacto positivo que sua contribuição pode ter na sociedade. Destacamos os benefícios mútuos que uma parceria com a Missão Pertinente pode trazer, como o fortalecimento da reputação corporativa, o aumento do envolvimento dos funcionários e a oportunidade de contribuir para uma causa significativa. Além disso, a notoriedade da nossa causa e da nossa marca pode incentivar outras empresas a se associarem, criando uma rede de apoio ainda maior.

Construir uma estratégia de parcerias

identificar empresas que compartilham dos mesmos valores e objetivos, criar propostas personalizadas que destaquem os benefícios da parceria, e mostrar evidências concretas do impacto das nossas ações, é um ponto vital. Além disso, é importante estabelecer uma comunicação transparente e estreita, mantendo os parceiros informados sobre o progresso e os resultados alcançados.

Celebre o Impacto Coletivo

Ao estabelecer parcerias com empresas e mecenas, não estamos apenas à procura de financiamento, mas sim  de construir um movimento coletivo para a transformação social. Devemos reconhecer e celebrar o impacto que essas parcerias têm na vida das crianças e jovens em situação de risco. Compartilhar histórias de sucesso, resultados alcançados e reconhecer publicamente o compromisso desses parceiros, reforçar a importância do seu envolvimento e incentivar outros a seguirem o exemplo.

As empresas e mecenas são parceiros valiosos na transformação social necessária para enfrentar as EAI.  Com estes parceiros podemos superar resistências e criar parcerias significativas. Juntos, podemos fazer a diferença na vida das crianças e jovens, construir uma sociedade mais segura, justa e saudável. Convidamos empresas e mecenas a  unirem-se à Missão Pertinente e fazerem parte desta mudança positiva. Juntos, somos mais fortes. Vamos fazer acontecer!

As parcerias da nossa missão Consulte Mais informação "

44% das depressões poderiam ser evitadas

 

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), “a Saúde Mental é um estado de bem-estar mental que permite que as pessoas consigam fazer face ao stress do seu quotidiano, concretizem as suas capacidades, aprendam e trabalhem de forma eficiente, e contribuam para a sua comunidade.”. Esta mesma organização, refere que a saúde mental é o problema de saúde mais frequente, sendo a principal causa de incapacidade no mundo e que em Portugal afeta cerca de 10% dos cidadãos. Entre 2000 e 2020, 131 em cada 1000 portugueses foram medicados contra a depressão.

No entanto, a maior parte das depressões podiam ser evitadas. As experiências de adversidade precoce podem predispor para a depressão na vida adulta. Pesquisas sobre crianças que sofreram abuso emocional cedo ou privação grave, indicam que tais maus-tratos podem alterar permanentemente a capacidade do cérebro de usar serotonina, que ajuda a produzir sentimentos de bem-estar e estabilidade emocional, alterando a capacidade da criança de interagir positivamente com os outros. Outros estudos publicados, identificaram associação entre trauma na infância e depressão na vida adulta. Vivências traumáticas na infância, como a perda de vínculos afetivos devido à morte de país ou de irmãos ou, ainda, a privação de um ou de ambos os pais por separação ou abandono constituem importantes fatores associados à depressão na vida adulta.

Temos de estar muito atentos à saúde mental das crianças, adolescentes e adultos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta para o fato de metade das doenças mentais surgir aos 14 anos, mas na maioria dos casos não ser detetada nem tratada. A doença mental não tratada no adolescente tem sérias consequências na vida adulta, condicionando a saúde física e mental e limitando as oportunidades de vida.

Para evitar as depressões temos de começar por tomar consciência da principal causa da doença. Temos de proteger as crianças e adolescentes de experiências adversas e fatores de risco que podem afetar o seu potencial de crescimento, com repercussões para toda a vida adulta. Temos de resgatar os adultos que foram vítimas de EAI.  Temos de estar em alerta para identificar os sinais. Temos de investir em programas abrangentes, integrados, e baseados na evidência, que consciencializem, promovam e protejam a saúde mental das crianças, adolescentes e adultos. Os programas de prevenção, promoção e intervenção na saúde mental requerem uma abordagem multissetorial que envolve a área de investigação, os serviços de saúde e sociais, as escolas, a justiça e toda a comunidade. 

A Depressão é um problema de Saúde Pública, que nos afeta a todos, direta ou indiretamente e pode ser prevenida.  Prevenir a saúde mental traz benefícios para cada um de nós. Para toda a sociedade.

Junta-te a nós e ajuda-nos a evitar este grave problema de saúde!

44% das depressões poderiam ser evitadas Consulte Mais informação "

Estas crianças estão condenadas à miséria

 

 

As nossas experiências de criança perduram para além da nossa infância. Como dizia Freud, “podemos tentar romper com o passado, mas o passado não rompe connosco”. As adversidades podem permanecer escondidas, na nossa memória biológica, durante vários anos, mas estão prontas a eclodir a qualquer momento da nossa trajetória.

Crianças que foram ignoradas, abandonadas, abusadas, negligenciadas física ou emocionalmente, que convivem com a pobreza, com a doença mental ou com a violência estão praticamente condenadas a uma vida de sofrimento. E, em média, morrerão 20 anos mais cedo. 

Serão provavelmente adultos inseguros, doentes, sem estrutura, sem referências. Terão um comportamento errante. Serão julgados, abandonados, humilhados durante todas as suas vidas. Causarão as mesmas experiências aos seus filhos e o ciclo continuará perpetuamente. 

O problema é grave e afeta pessoas de todas as classes sociais e praticamente todas as famílias. Este problema é universal. As EAI cobram às vítimas um preço que as onera para a vida inteira. As EAI são verdadeiras e repudiantes sentenças de condenação que geram um impacto devastador e duradouro não apenas na infância, mas durante toda a vida e têm custo elevado para a sociedade em geral. As vítimas das EAI são condenadas, na idade de ouro da inocência, a penas que se perpetuam pela vida fora. Elas são condenadas injustamente, sem direito de audição prévia e contraditório. As penas que são impostas às vítimas não se suspendem, nem se revogam. A vida das vítimas fica condicionada, mas elas nem sequer têm direito a liberdade condicional. A maior parte dos direitos humanos constantes da Declaração Universal dos Direitos do Homem e que formam a essência da nossa Constituição são violados e sonegados a estas vítimas.

Não podemos permitir que os direitos humanos continuem a ser violados de forma tão gravosa e reiterada. O reconhecimento ao nível do direito internacional e nacional, de direitos fundamentais como a integridade física e emocional das crianças, a participação e a audição em tudo o que lhe diga respeito e o direito à sua inclusão numa família que lhe proporciona afetos, segurança e cuidados adequados, tem de acompanhados de um movimento nacional sério, empenhado e competente.

O problema das experiências adversas na infância é transversal a toda a sociedade. Para poder criar uma estratégia concertada, precisamos de mobilizar esforços em diferentes eixos.

Tu podes fazer parte deste movimento.

Estas crianças estão condenadas à miséria Consulte Mais informação "

16% das pessoas são casos graves

 

 

Para ser mais preciso, segundo os valores internacionalmente aceites, 16,7% das pessoas sofre deste problema grave, que não é oficialmente reconhecido em Portugal.

 

Um sexto das pessoas avaliadas em vários estudos internacionais, demonstraram ter tido 4 ou mais experiências adversas da infância. São eventos potencialmente traumáticos na infância, dos 0 aos 17 anos, tais como negligência e experiência ou testemunho de violência. Estas experiências podem afetar negativamente o desenvolvimento físico, mental, emocional e comportamental com consequências duradouras na saúde, bem-estar e prosperidade até a idade adulta, ou mesmo até ao fim da vida.

 

Estima-se que haja em Portugal 1.727.950 pessoas que são vítimas graves e que lidam com consequências terríveis sem compreender a sua origem. 287.800 crianças e jovens portugueses podem estar neste momento a sofrer EAI severas, sem qualquer proteção específica. Em Portugal, ao contrário da maioria dos países da Europa, não existe qualquer programa de prevenção.

 

O problema não é do sistema, nem é “dos outros”. É de todos nós. Afeta as nossas vidas, as nossas famílias e – de uma forma ou de outra – todos os que mais amamos.

 

Precisamos ficar atentos. Precisamos parar este ciclo. Precisamos resgatar as crianças e jovens que estão a ser vítimas deste problema. Temos obrigação moral de requalificar os adultos que passaram por estas experiências adversas na infância.

 

A Missão Pertinente é uma associação sem fins lucrativos que se propõe a criar um movimento social para travar este problema. Estamos a juntar cientistas, técnicos, pais e toda a comunidade para criar e implementar estratégias sólidas para travar as experiências adversas na infância e as suas consequências. O tema envolve as áreas social, da saúde, da educação e da vida comunitária. Há muito para fazer.

 

É uma longa missão, mas é pertinente. Podemos fazer este caminho: da adversidade à resiliência.

 

Tu podes ajudar-nos a fazer a diferença. Podes tornar-te sócio. Podes tornar-te voluntário. Podes fazer-nos chegar o teu donativo. Podes passar a palavra aos teus amigos.

 

Precisamos de ti. Junta-te a nós. Vamos fazer a diferença. Vamos construir um mundo mais acolhedor e mais justo.

 

Por ti, pelos teus, por nós, por todos.

16% das pessoas são casos graves Consulte Mais informação "

Isto afeta-te a ti e às pessoas de quem mais gostas

 

 

Os dados encontrados por investigadores, um pouco por todo o mundo, revelam uma verdade escondida e ignorada que pode estar a destruir a tua vida e a das pessoas de quem mais gostas e a vida social em geral. 

 

Os cientistas ficaram surpreendidos quando perceberam muito claramente que o stress tóxico durante a infância é a causa da maioria dos problemas da sociedade: doenças físicas e mentais, depressão, ansiedade, relacionamentos abusivos, hábitos pouco saudáveis, insucesso escolar e profissional, vícios, dependências de substâncias, violência e criminalidade têm uma causa comum e está identificada.

 

As estatísticas dizem que mais de 60% das pessoas foram vítimas; mais de 16% são casos graves. E isto não são apenas números. Em cada uma destas pessoas há uma história de adversidade que se perpetua por toda a vida, aos mais diversos níveis. O pior é que cada uma destas pessoas se sente isolada e sozinha, dada a pressão social em ignorar a sua própria história, fingindo que está tudo bem. Isto dá origem a uma farsa social de proporções épicas, não é?

 

Está mais do que na hora de sair deste registo de ocultação e de ignorância e enfrentar as coisas tal como elas são. As experiências adversas da infância existem e causam danos se não forem ressignificadas. Elas podem dar origem a uma extrema vulnerabilidade ou a uma resiliência inigualável.

Vamos aprender a lidar com isto de forma a construir uma vida de autêntico bem-estar e felicidade? Por ti. Pelos teus. Por nós. Por todos.

Isto afeta-te a ti e às pessoas de quem mais gostas Consulte Mais informação "

Ficha de inscrição
plugins premium WordPress